Cérebo, agente ou gerente do espírito?