Uma sociedade de carneiros acaba gerando um governo de lobos.

Tenho visto uma campanha se espalhando pelas redes sociais para que todos votem nulo e dizendo que se a maioria votar nulo haverá novo pleito, ISSO NÃO É VERDADE.

A confusão decorre de uma interpretação errada do art. 224 do Código Eleitoral. A nulidade a que a legislação se refere está relacionada aos votos anulados por decisão judicial.

Art. 224. Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do país nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias.

Quando analisamos o Capítulo VI que trata DAS NULIDADES DA VOTAÇÃO nos artigos 219 a 224, podemos ver isso de forma clara que a nulidade do artigo 224 não se refere ao voto nulo decidido pelo arbítrio legal do cidadão, confira abaixo:

CAPÍTULO VI
DAS NULIDADES DA VOTAÇÃO

(…)

Art. 221. É anulável a votação:

I – quando houver extravio de documento reputado essencial;

II – quando fôr negado ou sofrer restrição o direito de fiscalizar, e o fato constar da ata ou de protesto interposto, por escrito, no momento:

III – quando votar, sem as cautelas do Art. 147, § 2º.

a) eleitor excluído por sentença não cumprida por ocasião da remessa das folhas individuais de votação à mesa, desde que haja oportuna reclamação de partido;

b) eleitor de outra seção, salvo a hipótese do Art. 145;

c) alguém com falsa identidade em lugar do eleitor chamado.

Art. 222. É também anulável a votação, quando viciada de falsidade, fraude, coação, uso de meios de que trata o Art. 237, ou emprego de processo de propaganda ou captação de sufrágios vedado por lei.

(…)

Art. 224. Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do país nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias.

(…)

§2º Ocorrendo qualquer dos casos previstos neste capítulo o Ministério Público promoverá, imediatamente a punição dos culpados.

Observe que o  § 2º acima prevê punição para os responsáveis pelos casos previstos de nulidades de todo o capítulo, ora, se o artigo 224 estivesse se referindo ao voto nulo praticado pelo eleitor na urna, logo seria algo ilegal e punível pelo poder estatal, o que não é o caso.

Para maiores esclarecimentos sobre este e outros mitos que se multiplicam nas redes sociais, acesse o site do TRE do Mato Grosso clicando aqui.

A sua omissão irá contribuir pela perpetuação dos corruptos no poder, a desesperança gera prostração e é justamente isso que desejam os políticos corruptos, uma nação inerte e um povo prostrado esperando por um “salvador da Pátria” que não virá.

Esse é o momento de mantermos a chama da esperança acesa, de nos mobilizarmos e fazermos a mudança, chegou a hora de abandonarmos a esquerda, a direita o centro e nos colocarmos de um único lado, O NOSSO.

 Os políticos corruptos contam com a sua omissão, pois cada voto contra a corrupção que deixa de ser computado é um ponto à menos que os políticos éticos deixam de obter, talvez você esteja dizendo agora: “mas não existe político ético no Brasil, todos são corruptos”, então eu digo a você, SE CANDIDATE, isso mesmo, dê uma oportunidade àqueles que também estão revoltados de escolherem alguém honesto como você, mas NÃO SAIA DO JOGO, diversas operações policiais estão tirando uma boa parte deste políticos de circulação, vamos aproveitar essa oportunidade, vamos deixar de ser ingênuos tomando partido por este ou aquele político profissional que já esta há anos se locupletando da nossa riqueza e acumulando aposentadorias e benesses vitalícias para eles e seus familiares, vote no seu vizinho pobre, vote no seu professor ou professora, não por ser seu vizinho ou ser seu professor ou professora, mas por você conhecer o caráter, deixa de ser bobo achando que se votar em alguém sem probabilidade de ser eleito, estará perdendo seu voto, você só perde o seu voto se não votar.

Lembra-se daquele “voto de sacanagem”? Pois é, esse é outro tipo de “omissão” que precisamos banir do nosso meio, quando você usa esse tipo de voto, você está sacaneando a você mesmo, a seus filhos e filhas, os políticos corruptos estão gargalhando à sua custa, esse “voto de sacanagem” poderia ter sido para um político do povo, como você, como seu professor ou professora, uma coisa é certa, precisamos nos mobilizar para mudar esse sistema político hereditário que aí está, em 2018 mão dê seu a voto a quem já está na política há tanto tempo e nunca fez nada, não vote no filho ou no neto de algum político, nunca teremos resultados novos se sempre repetimos as mesmas posturas.

Seja você a mudança, se candidate ou influencie alguém de sua confiança com capacidade para nos representar a se candidatar, só assim teremos um Brasil melhor.

Reflitamos nas frases abaixo:

“O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons” Martin Luther King

“Para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados”.     Edmund Burke

Por fim quero deixar registrada a pergunta que o educador francês e discípulo do grande mestre Pestalozzi, Hippolyte Léon Denizard Rivail, fez a um Espírito Iluminado ao escrever O Livro dos Espíritos em 1857:

Pergunta de número 932 – Por que, no mundo, os maus quase sempre exercem maior influência sobre os bons?

Resposta: Pela fraqueza dos bons. Os maus são intrigantes e audaciosos, os bons são tímidos. Quando estes o quiserem, predominarão.

Espero ter contribuído um pouco para que todos juntos venhamos exercer o nosso direito de cidadania e de revolta contra a corrupção votando em políticos ficha limpa ou que conheçamos de perto a integridade moral, e se você não encontrar ninguém, SE CANDIDATE, eu votarei em você.

Um grande abraço à todos.

 

Esta entrada foi publicada em Deveres Sociais. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *